Caminhos de Ferro de Portugal

Análise SWOT do projecto de alta velocidade

Pontos fortes

  • Transporte de grande capacidade e com elevado nível de segurança e fiabilidade
    (nos passageiros), com índices de sinistralidade reduzidos (Pedelhes, 2007)
  • Transporte com elevada eficiência energética e ambientalmente sustentável (RAVE, 2003)
  • Transporte associado a elevados níveis de pontualidade, regularidade e conforto, nos passageiros (INTF, 2007)
  • Rede modernizada nas zonas de maior densidade demográfica, designadamente nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto e boa conectividade com as redes de metropolitano (Vitorino, 2007)
  • Potencial de participação eficiente em ofertas globais de transporte, quer de passageiros, quer de mercadorias (Vitorino, 2007)
  • Sistema propício à inovação, desenvolvimento e investigação (Vitorino, 2007)

Pontos fracos

  • Redução contínua da procura de transporte público (LUSA (1), 2005)
  • Matriz de tempos de viagem interurbanas e internacionais não competitiva com outros modos de transporte (INTF, 2007)
  • Limitações ao nível da interoperabilidade com a rede ferroviária europeia (Vitorino, 2006)
  • Existência de alguns estrangulamentos da infra-estrutura com limitações de capacidade relevantes (Vitorino, 2006)
  • Oferta desadequada em alguns serviços, quer em termos de horários e número de circulações, quer do material circulante utilizado (Vitorino, 2006)
  • Deficiente coordenação com outros modos de transporte, em várias linhas e serviços
  • Gestão menos eficiente na relação com o cliente
  • Enquadramento tarifário (Bruno, 2003)
  • Fraca cultura de mercado e insuficiente agressividade comercial nos serviços de tarifa não condicionada e de mercadorias
  • Reduzida fiabilidade e flexibilidade dos serviços de mercadorias
  • Elevados défices de exploração

Oportunidades

  • Políticas europeias de transporte (SCADPlus, 2001)
  • Criação de um único órgão de planeamento estratégico integrado e de regulação para o sector dos transportes terrestres
  • Concretização da Rede de Alta Velocidade e materialização de novos eixos ferroviários (Vitorino, 2006)
  • Desenvolvimento da Rede Nacional de Plataformas Logísticas (Lemos, 2007)
  • Aumento da competitividade dos portos e aeroportos nacionais (INTF, 2007)
  • Restrições ao TI nas áreas urbanas de maior densidade(Vitorino, 2006)
  • Necessidade de cumprimento das metas de Quioto (Garcia, 2007)
  • Tendência europeia para a internalização dos custos com externalidades e eliminação das distorções à concorrência modal (CP, s.d.)
  • Aproveitamento comercial de estações com serviços de valor acrescentado para os clientes (Vitorino, 2006)
  • Aumento dos preços dos combustíveis (LUSA (2), 2007)
  • Contratualização do serviço público de transporte e definição de padrões de qualidade associados ao transporte contratado (Vitorino, 2006)

Ameaças

  • Os elevados custos e tempos de concretização dos investimentos em infra-estruturas ferroviárias (Vitorino, 2006)
  • Valor a pagar pela utilização da infra-estrutura enquanto factor de distorção da concorrência (INTF, 2007)
  • Inércia intrasectorial e resistência à mudança
  • Elevadas taxas de monitorização (Vitorino, 2006)
  • Perda de quota de mercado do transporte público (INTF, 2007)
  • Modelos de ordenamento do território conducentes à dispersão urbana e a zonas de muito baixa densidade

Vectores fundamentais para a estratégia definida

  • Melhorar a eficiência do Sistema de Transportes (Vitorino, 2006, p.8)
  • Contribuir para o desenvolvimento económico e para a coesão social e territorial (Vitorino, 2006, p.8)
  • Aumentar a sustentabilidade do sistema de transportes (Vitorino, 2006, p.8)

Referências

BRUNO, Marco. Bilhete de TGV entre Lisboa e Madrid vai custar 100 euros. [em linha]. Lisboa: skyscrapercity, 2003. [Consult. 17 Dez. 2007]. Disponível em: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=470038

CP – Caminhos de ferro Portugueses. Suburbanos de Lisboa. [pdf em linha]. Lisboa: CP, s.d. [Consult. 17 Dez. 2007]. Disponível em: http://www.cp.pt/…/orientacoes_estrategicas/capitulo1_b_orientacoes_estrategicas_sector_ferroviario.pdf

GARCIA, Ricardo. Portugal ainda longe das metas de Quioto. Público. [em linha]. 3 Dez. 2007. [Consult. 18 Dez. 2007]. Disponível em: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1312566

INTF – Instituto Nacional do Transporte Ferroviário. “Competitividade Ambiental dos Serviços Ferroviários de Alta Velocidade e de Média e Longa Distância“. [pdf em linha]. Lisboa: INTF, s.d. [Consult. 2 Dez. 2007]. Disponível em: http://www.intf.pt/Uploads/%7B29BD339C-177C-4607-984E-7236CF030FD1%7D.pdf

LEMOS, João. A REDE NACIONAL DE PLATAFORMAS LOGÍSTICAS E A MODERNIZAÇÃO DA BASE PRODUTIVA. [pdf em linha]. Lisboa: MOPTC, 2007. [Consult. 18 Dez. 2007]. Disponível em: http://www.cm-loures.pt/doc/PDMpp/tema3/RLogistModern.pdf

LUSA (1), Agência. Carmona Rodrigues diz que Lisboa tem dos melhores transportes da Europa. RTP. [em linha]. 12 Jan. 2005. [Consult. 19 Dez. 2007]. Disponível em: http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=148123&visual=26

LUSA (2), Agência. Preços dos combustíveis vão subir três cêntimos na próxima semana. Público. [em linha]. 5 Jan 2007. [Consult. 19 Dez. 2007]. Disponível em: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1281601&idCanal=68

PORTAL DO GOVERNO, Intervenção da Secretária de Estado dos Tranportes, [em linha].[Consult. 10 Nov. 2007] Disponivel em: http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Governos/Governos_Constitucionais/GC17/Ministerios/MOPTC/Comunicacao/Intervencoes/20070914_MOPTC_Int_SET_Promocao_Transporte_Publico.htm

PEDELHES, Gabriela, et al. Logística de Transportes. [em linha]. Santa Catarina: GELOG – USFC, s.d. [Consult. 16 Dez. 2007]. Disponível em: http://www.gelog.ufsc.br/Publicacoes/Apresentacao_Transportes.pps

RAVE- Rede Ferroviária de Alta Velocidade. Relatório de Impacto Ambiental. [pdf em linha], Lisboa: RAVE, 2003 [Consult. 11 Out. 2007]. Disponível em: http://www.rave.pt/ambiente/Relatorio_Ambiental.pdf

SCADPlus – Sinteses de Legislação. A política europeia de transportes no horizonte 2010. [em linha]. Bruxelas: Agência Ferroviária Europeia, 2001. [Consult. 19 Dez. 2007]. Disponível em: http://europa.eu/scadplus/leg/pt/lvb/l24007.htm

VITORINO, Ana Paula. Orientações estratégicas para o sector ferroviário [pdf em linha]. Lisboa, MOPTC, 2006 [Consult. 24 Out. 2007]. Disponível em: http://www.portugal.gov.pt/NR/rdonlyres/66345E38-B036-4E15-B18F-65C4982FC44C/0/Estrategia_Ferroviaria.pdf

2007-12-19 03:17 Francisco Martins

2 comentários »

  1. Página sobre tema muito relevante.

    Desenquadrada dos trabalhos já feitos.

    Mau aproveitamento do espaço.

    Referência não citada no texto.

    Citações e referência incorrectas.

    1 ponto

    Comentar por Virgílio A. P. Machado — Novembro 22, 2007 @ 3:16 am

  2. Página sobre tema muito relevante.

    Informação disponível trabalhada.

    Várias referências adicionais.

    Desenquadrada dos trabalhos já feitos.

    Faltam citações.

    Citações e referência incorrectas.

    4 pontos

    Comentar por Virgílio A. P. Machado — Dezembro 23, 2007 @ 12:15 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: